ENTENDA OS AUMENTOS NA CONTA DE ENERGIA E SEU FUTURO

Muitos devem estar se perguntando, ou no mínimo “grilados”, sobe o que realmente está acontecendo, ou vai acontecer com a Energia Elétrica no Brasil.

Então, para explicar, vamos relatar alguns fatos, para que raciocinemos juntos, como a seguir:

1.     A economia Brasileira caiu muito em 2016 o que fez com que as empresas produzissem menos. Não que esteja acontecendo economia de energia;

2.     Nesse caminho, enquanto o setor industrial tem puxado a queda, o Brasil experimentou um aumento puxado pelas residências em dezembro de 2016;

RESENHA Mensal do Mercado de Energia

Como podem ver no relatório anterior, o consumo no mercado Cativo caiu, enquanto no mercado Livre aumentou consideravelmente.

3.     No final, entre quedas e altas no consumo “O contexto político-econômico continua trazendo grande dose de incertezas às análises e projeções do consumo de energia”, afirma a EPE.

4.     E, considerando as recentes altas no consumo nos quatro últimos meses na virada do ano, acompanhada pele estação mais quente, foi o suficiente para levar à necessidade de religamento de termoelétricas, o que fez com já se passasse à necessidade de voltar com a Bandeira Amarela (Novembro/16 e Março/17);

5.     Em se falando em Bandeira Amarela, vejam que está já subiu de R$ 1,50 para R$ 2,00 para cada 100 kW consumido em período “risco médio” no fornecimento de energia;

6.     Não obstante, agora definitivamente veio a cobrança dos 61 bilhões de Reais do déficit, já de conhecimento de muitos desde 2014/15, o que vai nos levar a um pagamento adicional em nossa conta até 2024;

7.     Um fator importante a lembrar a todos, que os contratos das concessionárias de energia lhe dão o direito de reajuste anual, a ser negociado com a ANEEL, de forma a garantir o Equilíbrio Econômico-financeiro dos contratos, ou seja, pelos manos o valor da inflação (mais TR, etc) que ainda virão esse ano;

Fato é que, no resumo da opera, conforme tabela abaixo, o Brasil precisará, “em média” de 2.272,80 MW anuais, o equivalente a 2 usinas nucleares de Angra (Unidades 1 e 2) ou meia Belo Monte por ano, lembrando que o prazo do projeto de uma usina pode varia entre 3 a 6 anos, dependendo do tipo de Usina. Dever-se-á considerar aí a burocracia brasileira, que tem levado, por exemplo, muitas usinas Eólicas a ficarem paradas por falta de Linhas de Transmissão, entre muitos outros impasses.

Só lembrando, já que temos a memória curta, que em 2015 especialistas, entre eles o próprio ministro do MME, previam uma necessidade de economia entre 5% a 6% só no referido ano para que não tivéssemos uma situação agravada em 2016, dado também as perspectivas de chuvas. Aí veio a crise.

PSR vê necessidade de redução da demanda de 6% em 2015
Risco de qualquer déficit no sistema está subestimado pelo governo e hoje é calculado em 37% pela consultoria
Carolina Medeiros, da Agência CanalEnergia, do Rio de Janeiro, Operação e Manutenção
20/03/2015

Ou seja, a saída é mesmo economizar, ou você acha que o Brasil vai conseguir cumprir a previsão de aumento da demanda de consumo, ainda mais com a recuperação da economia, o que, certamente, levará a uma revisão nesses números.

E como economizar de forma rápida, prática e simples e com alto valor agregado em termos de economia e Payback em relação às caras, complexas e demoradas soluções disponíveis no mercado hoje em dia?

Primeiro devemos saber de um fator importante sobre o maior vilão no consumo de energia mundial.

As perdas que sua unidade Ar-Condicionado ou Sistemas Centrais de Refrigeração produzem pode ter um enorme impacto não só suas contas de energia, mas no ambiente. Estabelecimentos comerciais, hotéis e a industrias de entretenimento são um dos maiores setores da indústria e consumidores de produtos e serviços de Condicionamento de Ar e Produção de Frios utilizados por Refrigeradores e Câmaras Frigoríficas, mas muitos ainda não têm conhecimento dos danos que estão causando tanto financeiramente quanto globalmente.

O problema que enfrentamos em ambos é tanto do tempo de vida dos equipamentos compressores utilizados por sistemas de Ar-Condicionado e Produção de Frios, quanto a demanda desses aparelhos todo o mundo que coincidem com os crescentes níveis de temperatura como os efeitos do aquecimento global a um ritmo alarmante em muitos países, além do alto consumo energético.

O custo que você pode encontrar para substituir, manter e, claro, executar esses sistemas vai continuar a aumentar com o aumento das contas de energia para combater essa demanda e pressão sobre os recursos. Sem contar a atual crise energética vivenciada, agravada pelo contínuo aumento da demanda inerente a um país em desenvolvimento, que para crescer, precisa de mais energia para seu setor produtivo.

E em se tratando desses Sistemas à base de Compressores para Transformação de Calor, estamos falando de dos maiores vilões referente ao consumo de energia elétrica e emissores de gases de efeito estufa. Estes sistemas são responsáveis por entre 40 a 70% do consumo de energia elétrica total na maioria dos estabelecimentos comerciais, 20% do consumo mundial.

Para tanto, é que trazemos as melhores soluções, capaz de reduzir em apenas uma grande loja 100 kW de demanda de um dia para o outro, tão logo instalado, como mostrado no gráfico abaixo.

Simulação Endocube – Câmara de Congelados

Endocube BBC News report

EndoCube by D.I.S.C.

Mais detalhes em nossa página www.serrenovavel.com, ou em nossa página no Facebook SER Renovável.

 

Elton Santos – SER – Soluções Energéticas Renováveis Ltda

01/03/2017

#AES #AESarcondicionado #ASEBrasil #endocubebrasil #economiaenergia #serrenovavel #fridgesaverenducube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook